Saturday, June 30, 2012

EMOÇÕES, SENTIMENTOS…


EMOÇÕES, SENTIMENTOS…

Por vezes, embalados nas nossas vidas e afazeres, não temos tempo para estas facetas do comportamento humano. Seguimos rígidas normas, planos estabelecidos e que religiosamente fazemos por cumprir. Como se de uma inevitabilidade se tratasse. E com as pressões que sofremos a todo o momento, quase que imitamos os autómatos, robôs de nova geração.

No entanto eu continuo a acreditar que cada uma de nós luta como pode, para resguardar alguns minutos, segundos ou horas, para as coisas que nos dão verdadeiramente alegria, prazer! Rir com gosto quando achamos graça genuína à mais simples piada ou situação, chorar, ou verter uma lágrima furtiva, quando as emoções conseguem falar mais alto do que o pragmatismo…

Vem isto a propósito de algumas ações que eu tenho que fazer diariamente envolvendo os animais de estimação que tenho, ou que é necessária a nossa interação, para ajudar que alguns dos nossos amigos animais ditos irracionais consigam (sobre) viver nos nossos espaços comuns. Tenho em minha casa uma Porca da índia, Fofinha de seu nome, que me sensibiliza bastante com os seus hábitos e jeitos de interagir comigo e os que me acompanham em casa; na casa de minha filha mais velha existe um Hámster (Mickey de seu nome) uma Tartaruga batizada de Clarinha e nos últimos tempos um Grilo, que por vezes dava o seu concerto bem grilado. È deste que quero falar em particular: era eu que na ausência da minha filha, lhe dava o alimento, em geral alface bem fresca e molhada para ele se entreter no mundo dos humanos. Há uns dias nesta onda de calor que se passou, ia eu á sua gaiola para proceder á reposição do alimento e quando me preparava para a tarefa de limpeza, constatei que o grilo estava quieto demais… chegando á conclusão de que não grilaria mais! Num ser tão frágil, por muito considerado insignificante, sem grande interesse, eu fiquei emocionado e triste com o seu fim inesperado para mim, desconhecedor dos ciclos de vida destes seres… fiquei incomodado e depois refletindo sobre as nossas emoções s e sentimentos, como é que situações destas nos podem afetar no momento, com esta intensidade?

Sentimos falta dos Amigos, indignamo-nos com as mortes de seres humanos nas guerras sem fim que por esse nosso mundo acontecem, desastres ou manifestações da Natureza Mãe e pensamos que nunca iremos ligar muito a outras situações que temos como controladas…

No entanto o que moveu a escrever hoje este texto, foi a morte do Grilo que entoava serenatas que para mim eram “música”! E por isso lhe presto a minha homenagem, pois por breves tempos me ajudou a reparar e ver o nosso mundo na sua imensa variedade de vivências e importância que muitas vezes damos a quem dela não merece. Nem um segundo!

Se calhar vou arranjar outro grilo, quem sabe? E sem pieguices, não é D.Grilo? Tu sabes que será assim!

Thursday, June 28, 2012

NOVO TÍTULO DO MEU BLOGUE...


Depois de muito matutar, resolvi mudar o nome do meu blogue! É uma "homenagem" á nossa classe política e em especial ao modo como estão a lidar com o plano de reestruturação da dívida pública Irei falando de um moso piegas de tudo aquilo em que acredito e fazendo assim a vontade a todos aqueles que pedem sacrificios, sem refilar...
É o novo estilo de governação dos sistemas democráticos! Impor as medidas, servindo-se preferencialmente das maiorias no Parlamento, é mais fácil e dá muito menos trabalho! A Oposição esbraceja, protesta, mas no fim as votações têm sempre uma inclinação para o mesmo lado. Deve dar muito gozo governar assim, ai deve deve! Quero também render as minhas homenagens ao nosso sistema financeiro, vulgo Banca, que se estão a sair muito bem, sem lamentos piegas! Eles sabem que os nossos governantes têm um carinho muito especial pelos seus serviços á causa nacional! É só serem um pouco lamechas e os seus pedidos piegas são logo concedidos!
Mas o que eu não perdoo, foi o modo como nos foram aos bolsos, roubando-nos os subsídios de Férias e de Natal! Sinto-me roubado, não tenho outra explicação, porque não devo nada a ninguém, tenho os meus compromissos todos em dia, e sem minha autorização e anuência, espoliam-me destes meus rendimentos! E fiquei a saber que há portugueses de primeira, de segunda, etc, etc!
E por agora fico-me por aqui! Desculpem lá as minhas pieguices, mas o que querem, eu sou assim!

Tuesday, June 12, 2012

FOI HÁ QUARENTA ANOS ATRÁS...


Há quarenta anos…12 de Junho 1972.

A primeira e última vez que passei o Stº António em Lisboa, foi precisamente no ano de 1972! Estava de partida para Angola em missão militar, com o Batalhão 3880 e a minha Companhia C.Caç 3535. Estacionados em Stª Margarida, eu e mais alguns companheiros, resolvemos ir de abalada até Lisboa para fazer uma despedida em grande de Portugal.

Está assim explicada a minha primeira e única experiencia na noite de folguedos lisboeta! Gostei, é diferente do S.João da minha cidade do Porto e só por acaso não voltei a viver a festa Antonina! Mas ficará para sempre gravada na minha memória esta data!

Felizmente correu tudo bem, até aos dias de hoje e gosto de ver que todos aqueles que vão festejar o santo popular o façam com renovado vigor! Afinal de contas ainda é uma das coisas que não podem “roubar” ao cidadão comum, neste País “pobre” de espírito e de políticas miseráveis sempre em nome dos que subtilmente vão delapidando os nossos recursos. económicos e intelectuais…
Foi há quarenta anos e ele pleno de planos por  um futuro que divisava

Friday, June 08, 2012

OS PORTUGUESES FORAM PACIENTES?


Passos Coelho, afirmou há dias que os portugueses se comportaram com muita paciencia e ponderação, perante as medidas gravosas  de teor económico que lhes foram impostas pelo acordo da "Troika" durante este primeiro ano do dito programa de ajustamento!
Pacientes mas muito revoltados snr Passos Coelho, com o roubo dos Subsidios de Ferias e de Natal, feitos de uma forma violenta, desumana, causadores de grandes dificuldades para gerir o orçamento familiar nos próximos anos!
Pacientes mas revoltados com o continuar de situações de privilégios para as classes dominantes e o apertar constante das Familias assoladas pelo Desemprego de muitos dos seus elementos!
Dá a ideia de que os nossos governantes só vivem da retórica fácil, mas não conseguem divisar as reais dificuldades por que passam tantos e tantos portugueses..
Pacientes mas muito revoltados, snr Passos Coelho!