Monday, August 13, 2007

TRIBUTO A MIGUEL TORGA...


ARIANE

Ariane é um navio.

Tem mastros, velas e bandeira à proa,

E chegou num dia branco, frio,

A este rio Tejo de Lisboa.

Carregado de Sonho, fundeou

Dentro da claridade destas grades...

Cisne de todos, que se foi, voltou

Só para os olhos de quem tem saudades...

Foram duas fragatas ver quem era

Um tal milagre assim: era um navio

Que se balança ali à minha espera

Entre as gaivotas que se dão no rio.

Mas eu é que não pude ainda por meus passos

Sair desta prisão em corpo inteiro,

E levantar âncora, e cair nos braços

De Ariane, o veleiro.


MIGUEL TORGA Prisão do Aljube - Lisboa, 1 Jan 1940


Quase um poema de amor


Há muito tempo já que não escrevo um poema

De amor.

E é o que eu sei fazer com mais delicadeza!

A nossa naturezaLusitana

Tem essa humanaGraça

Feiticeira

De tornar de cristal

A mais sentimental

E baçaBebedeira.


Mas ou seja que vou envelhecendo

E ninguém me deseje apaixonado,

Ou que a antiga paixão

Me mantenha calado

O coração

Num íntimo pudor,

Há muito tempo já que não escrevo um poema

De amor


Miguel Torga é o nome literário do médico Adolfo Rocha nascido em S. Martinho de Anta, distrito de Vila Real, a 12 de Agosto do ano de 1907. Proveniente de uma família humilde, teve uma infância dura, que lhe deu a conhecer a realidade do campo, sem bucolismos, feita de árduo e contínuo trabalho. Após uma breve passagem pelo seminário de Lamego, emigrou com 13 anos para o Brasil, onde durante cinco anos trabalhou na fazenda de um tio em Minas Gerais. Regressou a Portugal em 1925, concluiu o ensino liceal e frequentou em Coimbra o curso de Medicina, que terminou em 1933. Exerceu a profissão de médico em São Martinho de Anta e em outras localidades do país, fixando-se definitivamente em Coimbra, como otorrinolaringologista, em 1941...

PORQUE A NOSSAS MEMÓRIAS DE GRANDES FEITOS E PESSOAS GRANDIOSAS DEVEM SER LEMBRADAS, O NOSSO PORTUGAL NÃO TOLERA TRAIDORES!

3 comments:

Bia Ferreira said...

Nunca tinha ouvido falar dele não, mas bem que gostei da poesia.. vou procurar saber mais...

Marta said...

Voltei ao Liceu

:)

jotabloguer said...

Bia:Procura que achas! A poesia é uma maneira de falar "especial" e que eu gosto para as ocasiões apropriadas.Vais gostar concerteza!
Beijinho!
Jorge

Marta:Eu penso que todos os dias das nossas vidas nos revemos nos dias das vidas nossas!(Esta tirada foi forte!)Estou a ficarpoeta tb!
beijinho para a musa inspiradora!
Jorge madureira