Saturday, October 27, 2007

AMORES DE VERÃO -parte 1



AMORES DE VERÃO…Dizem os entendidos que no Verão aparecem amores e desamores que marcam muitas das vezes aqueles que porventura por eles passem.A história que aqui relato é verídica e aconteceu em 1986.Numa ida à praia com a filha pequena de 13 anos quando se instalou na areia no meio de outros banhistas naquela manhã de domingo, a ele não lhe passava pela mente a quão preenchida seria! Já em pleno uso daquele sol quente, deitado na sua toalha, viu-a chegar do banho com a água gotejante, escorrendo pelo seu corpo e para sua surpresa, deitou-se mesmo perto de si numa toalha que já lá estava e na qual não tinha reparado e acompanhada por um pequeno caniche.Passados breves momentos retira a parte de cima do bikini e ali começa a gozar as delícias do sol.Ele pega na sua miúda e vai dar um passeio junto à água e dar uns mergulhos. Quando volta para junto das toalhas a jovem continua deitada quase indiferente aos olhares dos passantes que repetidamente a mediam de alto a baixo.Não demorou muito tempo que filha começasse a brincar com o pequeno cão e o pai foi trocando algumas palavras de circunstância com a jovem que agora já seca voltou a colocar o top do bikini no seu devido lugar.A química foi tal que passados momentos conversavam como se velhos amigos se tratassem!Ela contou que morava e trabalhava ali perto da praia, sozinha, e estava num processo de resolução sentimental complicado com a sua família e companheiro.Ele ouviu-a pacientemente e foi dizendo também morava ali nas redondezas, tinha aquela filha e que era natural que se encontrassem mais vezes por ali.Chegada a hora do almoço, ele foi embora com a filha (ela tinha dito que ficava na praia até ao meio da tarde) e pensando nas razões daquela atracção que sentira pela jovem da praia.Tinha de descobrir mais detalhes sobre ela e onde ela morava para atenuar todo aquele desassossego, para mais quando nada tinha sido premeditado, fruto apenas do acaso! Haveria de pensar num modo de o levar a efeito· (continua)

5 comments:

Marta said...

Não há acasos nem coincidências! Tudo na vida tem uma razão de ser! E quando encontramos alguem na nossa vida não é por acaso, ela traz sempre uma mensagem para nós, depois depende de nós sabermos se estamos ou não à altura de receber essa mensagem!

Silvia Madureira said...

Tens um convite no meu blog.beijo

Crítica e denúncia said...

Obrigada pela mensagem lá no SOS miséria, vem ser nosso colaborador, inscreva-se a convite meu, pode enviar textos, fotos e participar.

E me deixastes curiosa para ver a continuação desta história.
Bjm
Alda

moolightgirl said...

Gosto de histórias..está parece q marcou ;)...já tou curiosa!!!! beijocas

jotabloguer said...

Marta: Em certa medida concordo contg. mas muitas vezes somos nós que fazemos o nosso destino!
Só que existem factores e razões que nos impedem os impulsos primários...
Beijinho

Sílvia: Já lá fui ver!Tu tens grandes causas, "no doubt"!

Olá Alda: Se calhar vou!Felizmente ainda há boas pessoas que se preocupam com o próximo mais desfavorecido...