Tuesday, October 30, 2007

AMORES DE VERÃO -parte 2- final.





AMORES DE VERÃO. Parte 2
Dias depois num fim de tarde ele foi ao encontro do desconhecido e dentro dos sinais que tinha recebido conseguiu por fim vê-la. Na troca de olhares naquele café com ambiente difuso e rodeada de alguns amigos (as), ele esperou que ela desse um sinal que fosse de reconhecimento da sua pessoa. Após alguns olhares cúmplices, ele ganhou coragem e foi ter à mesa e apresentando-se aos restantes integrou-se no grupo as conversas fluíram despedida combinaram encontrar-se fora de ali nos próximos dias. Quando regressou a casa vinha eufórico por ter conseguido localizá-la e poder assim continuar a sua descoberta! Com o seu contacto combinaram encontrarem-se num café perto da praia num sábado já em Setembro. Ela vinha vestida com uma longa túnica branca e uma espécie de tiara na cabeça e que pela sua aparência e invulgaridade suscitava nas pessoas que os rodeavam olhares curiosos ele pegou nela e foram dali para o seu carro e estacionaram junto à praia e começaram a sua descoberta entre palavras e gestos de grande excitação e o tempo voou. Ficou a saber que ela iria mudar-se para ali perto em breve e ficaria assim muito mais fácil a partilha de momentos que tudo poderiam trazer, os seus familiares estavam dispersos e ressentia-se muito dessa situação e o seu companheiro não facilitava as coisas no sentido da reconciliação que ela desejava. Ele viu que seria melhor refrear os seus desejos e que faria os possíveis por a ajudar a tomar as decisões mais consensuais e ele próprio não prejudicar a sua família. O resto o futuro o diria.Depois de várias cumplicidades por todo o mês de Setembro, a hora das decisões chegou. Ela acabou por decidir que ia para os Açores (tinha lá família) e ele sensatamente retomou o caminho acertado, fazendo o reajuste de alguns pontos na sua vida familiar que estavam pelos vistos mais frágeis Ambos decidiram que o melhor seria assim e não iriam afectar mais ninguém! Separaram-se como Amigos e alguma amargura nas suas mentes. Nunca mais se encontraram!

3 comments:

Marta said...

E será que essa decisão foi de acordo com o coração ou de acordo com a mente e o que é ploticamente correcto para os outros?

sveronica said...

O que posso dizer é que se há algo que ficou suspenso no ar por conta da razão; nenhum vai viver livremente até que o ciclo se feche. Ou por outro lado, podemos entender que era uma mensagem e que foi entendida e assimildada. Ambos precisavam vivenciar estes momentos e seguir caminhos...

beijinhos

Menina do Rio

jotabloguer said...

Marta: Este epílogo acontece muito mais vezes do que imaginamos...Lá está a racionalidade sobre a emoção!
Beijinhos

sveronica:Eu acho que este ciclo não mais se fechará! Há caminhos que se separam irremediávelmente...
Beijinhos

jorge madureira